OBRIGADA PELA VISITA!
DEIXE UM RECADINHO DE VEZ EM QUANDO
É BOM CATIVAR...
CATIVANDO-ME, VOCÊ ME INCENTIVA!

Visitem os blogs pedagógicos da krika!

Glitter Photos

Confira no Linguagem e Afins

sábado, 23 de agosto de 2014

Triste alegria " distímica"





Triste alegria
- © Lenise M. Resende -

Nos momentos em que a mente e o físico dão um descanso, e a vida colabora com um pouco de tranquilidade, chego a pensar que estou curada da depressão crônica. Chego a pensar que estou me tornando uma pessoa mais alegre e descontraída. Puro engano! A aparente solidez desse sentimento de contentamento é traiçoeira.

Como é triste essa minha alegria! Ela é tão frágil, delicada e fugaz. A alegria do portador de distimia é semelhante ao gelo fino que se forma sobre um lago congelado, e se rompe quando submetida a qualquer pressão. É apenas uma casquinha fina que encobre a tristeza, a ferida que nunca cicatriza.

Como é espaçosa essa doença! Por algum tempo sou até capaz de esquecê-la, mas ela está sempre presente aguardando um momento propício para se mostrar. E quando reaparece traz na bagagem o mau-humor, a irritação, a impaciência, e a lentidão no agir e no pensar.

Para espantar a tristeza, busco me alegrar com os motivos de quem estiver feliz ao meu lado, mesmo que eu precise dar uma forcinha para que isto aconteça. A felicidade e as demonstrações de alegria de quem está ao meu lado me faz bem!

No dia a dia aprecio demais a proximidade e o carinho daqueles que gosto. Mas nos dias "especiais", em que a distimia mostra seu poder destrutivo, viro bicho. Sou bicho preguiça, nos dias em que a lentidão e o sono dominam. Sou porco espinho, nos dias em que estou impaciente e irritada, e não quero ser tocada por ninguém.

Como é difícil escrever sobre esse assunto! O pior, quando se escreve sobre a distimia, não é a preocupação com a opinião dos outros. O pior é reler o que escrevemos, é ter que admitir que aquilo aconteceu conosco, que estamos relatando a nossa vivência. É preciso ter resignação - coragem e paciência - para aceitar que sofremos os efeitos dessa doença.
Fonte: AQUI



Link para essa postagem


Um comentário:

  1. Querida amiga

    Às vezes as palavras
    se escondem em nossas vidas.
    Então,
    saímos em busca de inspiração
    nos lugares onde a amizade
    se faz preciosa,
    (lugares como este)
    pois são os amigos
    que guardam as melhores
    palavras de nossa vida,
    para nos devolver e inspirar
    quando estivermos distantes
    de nós mesmos...

    Obrigado por sua generosa amizade...

    ResponderExcluir